sábado, 26 de março de 2011

Adeus

É, tenho que entregar os pontos, jogar a toalha. Eu perdi.
Agora a minha luta é contra mim. Contra meus impulsos de te ver, contra meu desejo de te ter, contra a minha vontade de fazer você me amar mais uma vez.
Pretendo jurar a mim mesma nunca mais te olhar, nunca mais, nunca mais.
Eu preciso anular qualquer sentimento que maltrate meu coração... Não é que eu seja sensível, é que eu me deixei vencer. Mas ainda há um longo caminho pela frente e, claro, eu o seguirei orgulhosamente sem vestígios teus.
O desejo mais profundo que eu tenho é que o que quer que você faça, fale ou pense não seja do meu interesse. Não te odeio mais, como da última vez. Até prefiro assim... Pena que esse ódio está em mim de outras formas, mas eu vou me livrar disso, e não, você não vai ver isso acontecer... Você não verá mais isso acontecer.
Às vezes me forço a pensar que tivemos nossos momentos de aproveitamento físico mútuo. Mas dói saber que pra mim foi sempre muito mais do que isso... Eu, na verdade, me sujeitei à formas flexíveis de relacionamento repentino para não me desligar de você. Vejo, pois, que agora é inevitável desconectar. Já acumulei experiências dolorosas o suficiente para querer distância - eterna - de ti. Morra.
Não foi isso que eu quis dizer...
Porque amar tem que doer? Sempre me disseram que era bom...

3 comentários:

Giselly disse...

Cada um com seu dom e você tem o seu. Amiga VOCÊ tem o dom de colocar cada palavra em seu devido lugar e eu me orgulho disso a cada dia.

fatoSempalavras disse...

raiva, ódeio,amor,encanto,desprezo...tudo isso, anda lado à lado,concordas?

mas, tu és forte abeça pra atingir qlqr objetivo que focares.

Fé!

Forte abraço.

Emoções disse...

Todos os poetas serão tomados por loucos.
Ainda pregam o amor que muitos não conseguem sentir.
Mas loucura maior e andar no deserto sem amizades,
plantando rosas que nunca vão florescer.