sábado, 23 de maio de 2009

Passasse o tempo, passasse a vida... mas não passasse sem viver.

Querer envelhecer parece tão infantil.
Querer pular a fase mais simples e lúdica da vida é uma atitude adulta?
Tentar se mostrar maduro, desenvolvido, evoluído é uma mostra do quanto se é jovem.
Jovem no sentido de inexperiente, sem acúmulo de lições dadas pelas circunstâncias que o tempo impiedosamente nos obriga a passar.
Agir de acordo com a idade e as "obrigações" que ela dá.
Uma criança deve conhecer. Conhecer a si mesmo. Para não perder tempo com tal desafio na vida adulta. E, claro, levar o mínimo de questões a resolver para a adolescência.
Responsabilidades ? Sim, com certeza. Mas sem se preocupar em corresponder às expectativas.
Ter contato, convencer, ser convencido. Disputar é ganhar e perder. Saber lidar com a derrota e com a vitória. Amar-se e amar alguéns. ALGUÉNS.
Ter 14, 15, 16 anos, que seja. Ser e não ser num só ser. Estar e não estar. Ficar. Nada específico. Liberdade possível, e não aquela idealizada, que nem ao menos já existiu. -Liberdade é um assunto que daria uma bela e longa postagem-.
16, 17, 18 anos. Rir, brincar, piadinhas do Chaves. Infantil? Ou feliz? Ser feliz ao extremo pode ser visto por olhos pobres com inveja. Recriminar a felicidade de alguém é não poder alcançá-la devido ao quão inferior é o estado de espírito. Ser infeliz por notar que existem pessoas realmente felizes. Que existem meios simples de ser feliz, ao invés de estar feliz em algum determinado momento. Volta-se para a criança... como ela é contente, como ela ri, como ela não vergonha de rir, como ela brinca, como ela não liga pro que vão pensar. Ter medo de escuro, ter medo de que a menininha que se ama não goste do desenho que ele fez na aula e pintou com giz de cera.
Não se prenda. COMPREENDA. Não inveje. BUSQUE.
É feio parecer uma criança boba? É feliz desse jeito? É realmente assim ou tenta ser? Ser tentando ser algo pré-estabelecido é ser escravo da própria vontade. Basta ser o que se é.
Nietzsche disse que os que dançavam foram chamados de loucos por aqueles que não podiam ouvir a música, e, além do mais: torna-te quem tu és.

Por hoje é só.

7 comentários:

Fernando disse...

Genial. Nada pode descrever melhor o que eu acho de você, e de seus textos, opiniões, conselhos e de sua inteligência. Quanto ao assunto discutido no texto, tive sorte. Meus pais dialogam constantemente comigo, e assimilo bem a maioria das coisas que eles dizem. Uma delas é essa busca da felicidade, que deve vir de dentro de você. Qual o motivo de ter vergonha de ser feliz, de sorrir à toa? Quem é feliz assim, também deve ignorar pessoas que reprimem essa alegria.
Para finalizar, devo lhe parabenizar pelo grande exemplo de responsabilidade, inteligência e de ser humano que você é. Conversar com você, além de ser prazeroso, só adiciona coisas boas na minha formação como ser humano.
Muito obrigado e parabéns por tudo o que você é.

PS: Piadinhas do Chaves são fodas!

Guida xD disse...

Brilhante texto Bárbara!

joao pedro disse...

ha-ha muito bom!!

esse texto me retrata bem... quanto mais velho eu vou ficando, menos me importo de ser criança... por que talvez eu nao seja mais uma.. e quando era, tentava esconder de mim mesmo...

ps:ta criando legioes de fãs em.. ashuas

Bárbara disse...

Exatamente, João Pedro. Por não ser mais há uma tendência de se perceber que não há razão de esconder o que se é.
Obrigada pelos elogios, meus querido leitores. :)

Lorena disse...

mais uma vez você conseguiu espetacularmente descrever o que todo mundo concorda mas ninguém sabe como expor assim! Você está a cada dia escrevendo melhor, Bárbara! E seu poder persuasivo está cada vez maior também! Meus parabéns, você sabe que vai longe e que eu serei, em breve, sua leitora diária em um dos grandes jornais...
agora você está ganhando uma legião de fãs, mas eu sou a número 1!
HUSAHSUHSAUSAHUSA

Helder disse...

Show de bola,parabéns!

larissa disse...

BÁRBARA, VOCÊ ARRASA! beeijos, Lari