segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Eu presa na armadura

Tendo por ti massacrado a mim, esquecerei de tuas lamúrias que mantém externadas com tanta facilidade usando minha boca para cuspir e meus ouvidos como cuspidouro.
Sai de mim, cruel mentira que por inocência assumi e fiz com que parecesse verdade natural.
Tolos os que nisso acreditaram, tola eu, que dei crédito às aparências! Forjadas aparências aparecidas sem peneira, esclarecidas sem a luz que só pode haver na verdade... A luz está escondida, e você, este eu medíocre mergulhado em covardia, a escondeu.
O fizeste por medo, medo sim, porque certezas havia na derrota e lutar sem armadura é arriscado.
Estou presa na armadura que vesti para me proteger não sei bem do quê. Não quero me manter trancafiada em ti, malvado escudo, malicioso elmo, entorpe lança... Em vós depostei meu eu e talvez nunca me possa libertar, talvez eu tenha morrido sufocada nesta fortaleza, nesta barreira que tu, capa "protetora", criaste em torno de mim... Eu, eu que nem frágil pude ser.

10 comentários:

Marcelo Victorino disse...

Eis o perigo de se proteger: se isolar

Bruno disse...

Entrar em contato com o caos e sentir-se vulnerável, as vezes terrifica.

www.costabbade.blogspot.com

MarceloFarias. disse...

Prometo a mim mesmo, que um dia escrevo tão bem quanto você.
Nem preciso falar que ficou ótimo.
beeijos

kenco disse...

nossa. uma guerra interna diria.

Leonardo Brito disse...

"este eu medíocre mergulhado em covardia" Achei muito linda essa frase!

.Mari. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
.Mari. disse...

Irei expor aqui meu comentário de acordo com o que interpretei desta sua alegoria para o termo armadura: quem dera eu tivese me protegido, ainda que isto significasse me isolar ou deixar de viver certos momentos. Quem dera eu tivesse vestido uma armadura dando, assim, voz à razão e evitando a criação de ineptas ilusões. Quem dera eu, ainda que apenas por fora, tivesse me mantido "forte" protegida pelo ferro de uma armadura. Acredito que seria menos dolorosa a dúvida do que a certeza de que falhei por não vesti-la e me entreguei tão por completo à emoções que hoje me tiram o sono. Enfim, a armadura, dependendo do ponto de vista e da situação, nem é tão ruim assim. Vai de acordo com a necessidade de cada um.

Lorena disse...

bem você mesmo: forte e frágil ao mesmo tempo, incrível como só você consegue ser... parabéns, mais um texto incrível pra sua coleção...

FatoSempalavras. disse...

É o sempre digo...Não precisa ter quilômetros de palvras estendidas, precisa, somente , ter clareza, ter sentimento. E isso aqui é mais do que transparecido, isso é muito real!

Me assusto - de uma forma bem positiva - com tanta elegância ao usar cada palavra.
P A R A B É N S !!!!

FatoSempalavras. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.