terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Tem valor

Sabe aqueles momentos em que se pára e compara o presente estado de ser com o que já se passou? Decidiu então sentar e com calma reler tudo que havia escrito até então. Observou cada pensamento e percebeu que já não era mais a mesma pessoa, pensou: "Não é possível que eu tenha escrito isso! Porque eu pensava assim?".
Silenciou por instantes, o necessário para que entendesse algo que já havia ouvido de pessoas mais experientes que ela. Foi preciso passar por tal choque para aprender que aquilo tudo que ela era não deve ser esquecido, não deve ser desprezado... Simplismente deve ser relembrado, para que não repita os erros de outrora.
Notou que aquela rebeldia quase que sem causa virou motivo de riso. Ela não estava rindo de si mesma, estava rindo de uma garota comum. Sim, comum! Como todas as outras tentou parecer diferente, tentou chamar atenção - nem sempre das melhores maneiras, é claro.
Como pode estar tão diferente? Será mesmo que mudou tanto assim ou mente para si mesma por sentir vergonha do que foi/é/será? Pobrezinha, disso ela nunca saberá. Manter-se-á em busca da resposta.
Como poderia se livrar tão rapidamente daquelas idéias super radicais, revoltadas... E a impaciência de não poder se perdoar? A exigência doentia por perfeição. Um dia entenderá que já é perfeita assim, como está. Não importa se esse "está" é de agora, foi de ontem ou será sabe-se lá quando...
Viu todo aquele ímpeto juvenil estragar tantas coisas, mas também viu construir amores, sabores, besteiras que jamais esquecerá. Fazem parte dela, nunca perderá isso em seus pensamentos, em suas fotos, em seus textos...

Tem valor
A vida dela tem valor
O registro da vida dela tem valor
Mesmo que já se tenha passado, tem valor
E ela vai guardá-la
com amor.


Ao som de: "Quanto vale a vida?" - Engenheiros do Hawaii

10 comentários:

Juliana Dias disse...

Alguém na sua idade escrevendo isso tudo? Meu Deus, quando for "velha" igual a mim, o que será então?

Também adorei seu blog...

p.s. Estou te seguindo...

› dani.avila ♥ disse...

na vida, nunca se encontrará um 'valor' pra certas coisas,
amei aqui, mt sensível, mt único!
Obrigada pela visita, volte sempre (:

beijos.

Felipe Braga disse...

Concordo com o comentário da Juliana. Apesar de nova, tua habilidade é enorme! Isso só acontece com pessoas que possuem o dom. Tu o possuis.
Admirável.
Beijos.

Poeta da Liberdade disse...

Concordo com o Pessoal acima, realmente são meras palavras que dificilmente se encontra no vocabulário (juvenil).
Cada pessoa encontra seu valor em uma forma diferente de atuar na vida.
Muitos são os que não encontram sequer um tempo, para entender seu próprio tempo.,
Beijos e Parabéns pelas palavras.
Rodrigo.Ap.B.B Poeta da Liberdade

Sara Machado disse...

Já parei para ler textos que tinha escrito com uns 12, 13 anos e me vi na mesma situação descrita em seu texto. A surpresa foi grande, mas fez com que eu percebesse o quanto havia mudado.

Parabéns pelo texto, ficou muito bom! E a propósito, você escreve muito bem.

Estou te seguindo.

FatoSempalavras. disse...

"são segredos que a gente não conta
são contas que a gente não faz
coisas que o dinheiro não compra
perguntas que a gente não faz:
?quanto vale a vida?
nas garras da águia"

Ohhhh, música perfeeeeeeeeeeeeeeeeeeita!!!

Conhece esta??
"Muros e grades"


_________-

Quantas e inúmeras vezes me peguei pensando se havia sido eu que tinha escrito tal texto. Cada palavra que a gente vai usando, cada sentimento que vai sendo exposto, cada situação que vai passando em nossas vidas, né?

Sempre nos faz agir de uma forma diferente, e , quase sempre, melhor!!!
Parabéns. Gosto sempre de vir aqui!!!

Victor Guida disse...

Seu texto demonstra mais uma evidência de que estamos em constante mudança....

Nívea disse...

e blogueando cheguei aqui... gostei do que li e estou seguindo vocÊ!

"Não é possível que eu tenha escrito isso! Porque eu pensava assim?".

ahaha meO deus, perfeito isso.
essa simplicidade de pensamento que me persegue e me motiva a escrever. a gastar dessa minha mania, talvez vício. mas sempre um gosto pra mim!


parabéns.
beijos

barbara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

tão doce e adulta... achava que era mais uma criança querendo usar a alfabetização... legal. gostei.