sexta-feira, 4 de junho de 2010

Ah se pudesse caber em versos...

Quantos recursos já esgotados usei na tentativa eterna e falha de explicar algo que quase me convence ser impossível.
Jovens são tão nostálgicos com relação às coisas que não lhe pertenceram...
É certo que a real Arte não agrada somente uma geração, não fica parada no tempo. É interminável, é Universal e capaz de cumprir a necessidade de exprimir as mais profundas e complexas agulhadas da alma.
As produções ricas, cheias de conteúdo explicativo, nem sempre são compreendidas como expressão de angústia, loucura, amor ou desespero. Há confusões nas diversas interpretações, algo que não necessariamente prejudica o mundo paralelo dos sensíveis. Na verdade, serve como incentivo para a busca interminável de maneiras mais claras (quase sempre frustadas) de demonstrar o que se passa com um ou vários indivíduos enclausurados em seus 206 ossos e todo resto que compõe a matéria fugaz do corpo humano.

Ah... também não cabe em prosa!

3 comentários:

José Guilherme disse...

O que é a arte? Eis aqui a resposta!

Felipe Braga disse...

Você vai além, Bárbara. Sabe como exprimir os pensamentos que ficam presos dentro de mim.
Parabéns, Barbie!

Eu não esqueci dos meus leitores, Bárbara. Vocês se enquadram nos amigos. Tem lá uma herança para vocês também. haha
Brincadeira.

Parece que vou me matar mesmo? rs


Beijos.

Nívea disse...

não cabe em versos, prosas, mas suas palavras traduziram bem o inexplicável pra mta gente.


Bom gosto encontrei por aqui.
Voltarei.

Nívea Flor