quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Vocábulo, termo... Palavra.

Ah, as palavras...
Aquelas palavras que ficam vagando na cabeça e não tem relação concreta com nada que já se tenha visto ou tocado.
E aquelas? Aquelas que fisgam na hora o significado e machucam quem as ouve.
Palavras não são formadas só por letras, sílabas, fonemas...
Palavras carregam fardos, palavras são muitas vezes chaves que abrem cadeados.
Ter cuidado ao usar certas palavras é fundamental para quem ainda tem medo de se complicar com estas poderosíssimas armas.
Escolher as palavras a serem ditas ou escritas deve ser feito tal como se escolhe um nome para dar a um filho. A escolha certa das palavras dirigidas evita males gravíssimos, enquanto, o engano que há em lançá-las ao vento pode causar danos irreparáveis.

Ah, as palavras...
Uma palavra mata, uma palavra não morre.
Quantas das palavras que se ouve se repete? Incontáveis.
Quais as palavras que se faz questão de esquecer? Impronunciáveis.
A dor da palavra que precede o silêncio é angustiante, e neste silêncio que consome as palavras ditas há mais palavras que se pode imaginar em sons ou em escritos.
Palavras limpam, palavras sujam.
Quantas vezes já usaram palavras para estraçalhar seu coração?
Quantas vezes já usaram palavras para colher, juntar e colar os cacos?

Ah, as palavras..
Entre tantas sempre existem as que não saem de forma alguma, e sufocam porque estão presas... E prendem.

Palavras, soletradas parecem menos do que são... Analizadas ficam tão frias, classificáveis, tão sintáticas, tão morfológicas.

pê a éle a vê érre a ésse.

6 comentários:

Victor Guida de Freitas disse...

As palavras são as armas mais poderosas que conheço. Matam o coração sem deixar vestígos de seu crime; abalam a estrutura de uma amizade de 10 anos em 10 segundos.

Hiran Matheus disse...

Adorei o final do texto XD

"pe a ele a ve erre a"

EU vs EU MESMO disse...

BASTANTE LINSPECTOR O INÍCIO, AS VEZES ACHO QUE MACABÉA MORREU ATROPELADA E ENCARNOU-SE EM VOCÊ.

Bárbara Reis disse...

Ótimo texto.
Bastam apenas duas palavras.

Hiran Matheus disse...

Eu não gostaria de ser uma macabéa .-.

Caroline disse...

as palavras realmente são armas muito poderosas e vc soube falar delas muito bem :D o final ficou MARA