terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Doze

Alguma mulher nua já deitou na tua cama?
Dizendo loucamente que te quer e que te ama?

Reflita sobre os beijos e o mais que ela deu,
Conforta o teu peito no abraço que a prendeu.

Reparta o amor e a aventura que se passou,
Num dia outro instante mais distante se acabou.

Passou alguma moça muito esperta por aí?
Causando arrepio forte e rápido aqui e ali?

Saiu com outro alguém aquela dama de outrora,
Dizendo "volto logo, fique aqui, não vá embora!".

Duvides da amada que te cerca ao entardecer,
Pode se fingir de mim e separar eu de você.

13 comentários:

Bárbara Reis disse...

Excepcionalmente delicado. Adorei.

Mel. disse...

bem musical!

Dessa disse...

fofo e meigo.
adorei!

KID PSICÓTICO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
KID PSICÓTICO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
KID PSICÓTICO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
KID PSICÓTICO disse...

Sem palavras! (apaenas aplausos)

Fran disse...

Não sei se é meu ponto de vista, mas seus textos andam tão tristinhos ultimamente... Anime-se. Apaixone-se. A vida é bela.
Adoro-te.
Beijos

MarianaMatos disse...

Muito bom mesmo!

Felipe Braga disse...

Um poema, Bárbara!
Um lindo poema, daquele estilo que adoro.

Saio daqui enfeitiçado por teus versos.

Beijos, poetisa.

Victor Guida disse...

Deu pra escrever poesias agora é?

Não sei por quê, mas esse texto me lembrou um cado de Vinícius de Moraes oO

Gostei.

Kézia Lôbo disse...

Legal...
Bem ritmado....
No compasso...
Muito bom...

Guida Sousa disse...

Eu quero lembrar do seu poema, pra não cair em armadilhas por aí.
E nem preciso dizer mais nada, a Kézia já disse ali em cima.